2017 será lembrado como o ano do carro elétrico

23 de outubro de 2017

Apesar de os carros elétricos ainda representarem a minoria na venda de veículos, os futuros historiadores de automóveis olharão para trás e identificarão 2017 como um marco na realidade desse mercado.

A progressiva e promissora inevitabilidade industrial segue 3 desenvolvimentos. O primeiro é a China, que produz em massa veículos elétricos e pretende acabar com os carros a combustão até 2030. Uma mudança que força o restante do mercado de automóveis a fazer o mesmo. O segundo é o Tesla Model 3, que criou uma excitação sobre carros elétricos devido ao seu design e preço inicial de US$ 35 mil nos EUA. Por fim, no terceiro lugar se encontram as outras montadoras como General Motors, Volvo, Volkswagen, Mercedes, Audi, BMW e Ford que anunciaram planos de desenvolvimento nesta área nos últimos meses.

"Você realmente sente que essa coisa de eletrificação é de repente muito real", disse Jessica Caldwell, diretora executiva de análise da indústria em Edmunds.com. "Há um impulso que nós realmente não vimos antes. Ele vem de outros países ao redor do mundo e de grandes fabricantes de automóveis, e isso está forçando todos os outros a seguir."

Segundo os especialistas o futuro dos elétricos ainda pode demorar alguns anos, porém haverá pelo menos 5 formas disso acontecer:

 

1. O futuro do petróleo

Graças à crescente demanda de veículos elétricos na Ásia e Europa a questão agora para os especialistas não é mais se os elétricos assumirão o controle, mas quando assumirão. Segundo a Barclays concluiu, a demanda do petróleo poderá reduzir em até 3,5 milhões de barris por dia em todo mundo em 2025.

2. Os postos de gasolina

Segundo John Abbott, diretor de negócios da Shell Oil, o gigante da energia já está se adaptando. "Nós temos vários países onde estamos olhando para ter instalações para recarregar baterias. Se você estiver sentado recarregando seu veículo, você quer tomar um café ou algo para comer."

3. Impacto ambiental

De acordo com Gina Coplon-Newfield, diretora da Iniciativa de Veículos Elétricos da Sierra Club, os carros elétricos emitem de 30% a 80% menos gases de efeito estufa. "No momento, apena alguns milhares por mês estão sendo vendidos, de modo que a GM pode aumentar significativamente sua produção, e isso terá um impacto significativo no mercado dos consumidores, do clima e da saúde pública.

4. O futuro da mecânica de automóveis

Um dos principais motivos de visita ao mecânico é a troca de óleo, o que levanta a questão, o que acontecerá com os veículos que não contam com o petróleo? Não é que os veículos elétricos não exijam manutenção, mas seus motores são muito mais simples segundo especialistas.

5. Rede elétrica

De acordo com especialistas, a adoção generalizada do consumo elétrico pode permitir que os veículos transfiram energia de volta para a rede quando os custos e a demanda são altos e recarregar a bateria quando a demanda diminui. Funcionando assim como "unidades de armazenamento de energia móvel".

 

Fonte: Gazeta do Povo

COMENTÁRIOS