Veja como está a cidade belga que proibiu a circulação de carros no perímetro central urbano

Em 2017, Ghent introduziu seu Plano de Circulação que promoveu as zonas livres de carros, desafogando o tráfego do centro da cidade.

Desde então, há mais espaço para pedestres e ciclistas, com apenas um grupo selecionado de veículos, como serviços de emergência, bondes, ônibus e táxis, autorizados a circular pelas ruas do centro da cidade.

Embora o centro histórico de Ghent esteja livre de carros desde 1997, o plano de circulação expandiu-se ao desviar o tráfego de veículos do centro por um anel viário. Cidades como Birmingham, na Inglaterra, estão planejando seguir os mesmo passos.

Mas por que isso aconteceu?

A preocupação com a qualidade de vida é um princípio norteador de muitas repartições públicas na Europa. Ghent é famosa por sua arquitetura medieval e atualmente é uma cidade universitária e importante centro cultural no país.

Fazer com que seus habitantes e turistas se sintam bem são fatores importantes para a gestão do bem estar social. Além de deixar as vias públicas livres para pedestres e ciclistas, entenda quais foram os benefícios que essa medida trouxe para a população da pequena cidade belga:

  • Menos veículos à combustão, melhora na qualidade do ar;
  • Vias públicas livres para mobilidade de pedestres e outros micro modais como patinetes e bicicletas;
  • Melhora na qualidade de vida, as pessoas podem praticar mais atividades ao ar livre;
  • Mais seguro, menores chances de atropelamentos;
  • Provoca mudanças de hábitos. Alguns moradores afirmaram que passaram a utilizar mais sua bicicletas para trajetos curtos e rotineiros e car sharing de veículos elétricos para distâncias mais longas;
  • Impulsiona o comércio e turismo locais.