O que é eletromobilidade e por que todo mundo está falando disso atualmente?

Uma breve introdução ao termo

A eletromobilidade está relacionada às formas de locomoção movidas total ou parcialmente à energia elétrica, por exemplo: veículos 100% elétricos ou híbridos e, recentemente, entraram para a lista, os que utilizam a geração de combustível a partir de células hidrogênio – eliminando apenas água no processo de transformação de energia. Em uma cidade, isso inclui bicicletas, ônibus, carros, utilitários, scooters, patinetes.

Alguns especialistas também vinculam o surgimento de projetos de eletromobilidade à idéia de redes elétricas inteligentes que fornecerão a energia na qual esses veículos funcionam, sendo assim, elas precisam estar prontas e aptas para o aumento da demanda por eletricidade.

Melhorar a eficiência energética do veículo acompanha a melhoria da eficiência da rede e esses esforços, em conjunto, podem levar a necessidades de produção de energia e emissões de gás carbônico cada vez mais reduzidas.

Não é preciso ser um gestor de público para querer aumentar a qualidade, a saúde e a prosperidade da comunidade na qual um indivíduo está inserido. Uma das formas de conseguir isso é através da pressão para implementação de políticas públicas de incentivo à utilização e comercialização de veículos elétricos que, nos grandes centros urbanos podem reduzir drasticamente a poluição sonora e contribuir para a melhoria da qualidade do ar.

Mas falando em gestão pública, como o governo pode auxiliar a população a se beneficiar da eletromobilidade? 

  1. Estacionamento e carregamento gratuitos – o acesso a essas vantagens é um forte incentivo para que a população invista em mobilidade elétrica;
  2. Investimento em infraestrutura – o investimento rápido em infraestrutura , como criação de postos de carregamento espalhados por diferentes pontos da cidade;
  3.  Adoção pública – de olho na economia e na sustentabilidade, a maioria dos governos e órgãos do primeiro setor agora estão migrando para frotas de veículos elétricos. Eles são ótimos para darem o exemplo, pois as empresas e a população se espelham nas ações do seu governo;
  4. Isenções de pedágio – algumas autoridades de diferentes países estão isentando veículos elétricos das tarifas de pedágio como forma de incentivo;
  5. Reduções de impostos – atualmente, o IPVA é reduzido ou isento em pelo menos 10 estados brasileiros.

Benefícios que a eletromobilidade traz para as cidades:

Melhoria na qualidade do ar

Isso ocorre porque os veículos elétricos não precisam queimar combustíveis fósseis (por exemplo, gasolina e diesel), para permitir a garantir sua locomoção. Os motores de combustão interna liberam CO2 na atmosfera ao gerar energia para movimentar os veículos.

Os veículos elétricos não emitem gases durante o processo de geração de força motriz e atendem à ideologia de “sem combustível, sem emissões”. Em termos simples, quanto mais pessoas substituírem seus veículos à combustão por veículos elétricos, mais a qualidade do ar melhorará.

Em algumas cidades já existem áreas de emissão zero, e os únicos veículos que podem operar nessas zonas são os modelos elétricos. Esse fator combinado com o fato de que os veículos elétricos são ideais para viagens curtas, como app de corrida, taxis e serviços de entrega, os veículos elétricos são, de longe, são a melhor opção.

Contribuição para o aumento da qualidade de vida

Como resultado da melhoria da qualidade do ar, com o tempo, também haverá uma melhoria na saúde e na expectativa de vida da população local. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 pessoas no mundo respiram ar poluído, chegando a matar cerca de 7 milhões de pessoas em nível global, anualmente. Problemas de saúde específicos que podem ser reduzidos em cidades com melhor qualidade do ar incluem taxas mais baixas de câncer (principalmente pulmonares), doenças cardíacas reduzidas, taxas mais baixas de asma e bronquite e número reduzido de derrames.

Diminuição da poluição sonora 

Outro problema com veículos movidos a combustão interna tem sido a poluição sonora. Tornou-se um problema crescente ao longo das décadas, à medida que mais e mais pessoas compravam seus primeiros veículos. Exemplo disso, é que os controles de ruído foram introduzidos em muitos centros urbanos, como forma de controlar a poluição sonora.

E um grande benefício dos veículos elétricos é que eles operam quase sem ruído. Sendo, inclusive, o caso de alguns fabricantes precisarem “adicionar ruído” porque os motores desses veículos são muito silenciosos e a população frequentemente tem problemas com isso.

Melhora do fluxo de tráfego

Como os veículos elétricos são mais silenciosos, eles são perfeitos para uso fora do horário de pico, quando as vias estão mais silenciosas, por exemplo, para transporte rodoviário e entregas. Essa vantagem pode ser usufruída pelos utilitários elétricos, que tiram de circulação dois caminhões pequenos ou caminhonetes a cada veículo dessa categoria rodando.

Incentivo a utilização de outras formas de locomoção

Ainda sobre o guarda-chuva da eletromobilidade está o incentivo e o desenvolvimento de iniciativas de compartilhamento de carros, o carsharing.  Essa modalidade de locomoção urbana traz benefícios econômicos e de praticidade para os usuários, mas no longo prazo também traz grandes benefícios para a cidade em termos de menor poluição e menos congestionamento, visto que a cada carro compartilhado, 11 outros deixam de circular – dados da University of California Berkeley.

Uma iniciativa vista com bons olhos é a liberação para veículos elétricos em faixas de ônibus na hora do rush, pois ajuda a desafogar o congestionamento e “bonifica” os usuários.

Exemplo de iniciativa do governo é recente nota que a Prefeitura de Curitiba, no Paraná, lançou informando que eletromobilidade será uma exigência a partir de 2025. Para colocar este assunto em prática, irá abrir nova concessão dos transportes públicos, que deve prever veículos elétricos em circulação na cidade. 

Foi mensurado pela Prefeitura que 72% das emissões de CO2 de Curitiba estão relacionadas à mobilidade em todas as suas modalidades. Na abertura de um o workshop sobre oportunidades de integração da eletromobilidade no transporte urbano da cidade, o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) afirmou que “a eletromobilidade é o caminho para reduzir custos operacionais, melhorar o transporte e adequar a cidade aos compromissos do Acordo de Paris com a redução ainda maior das emissões de CO2”.

Para um um futuro mais verde

A questão central é gira em torno do investimento em infraestrutura e a gestão de dados por trás disso. Com o aumento da necessidade de uma rede energética mais robusta e eficiente, cabe ao governo utilizar os dados de consumo de energia e mobilidade urbana para elaborar as melhores condições para a democratização do acesso à eletromobilidade.

Quer conhecer nossas soluções em eletromobilidade?