Os preços dos carros elétricos estão se aproximando dos movidos à combustão

De acordo com uma pesquisa dos Estados Unidos, em 2010, o proprietário de um carro elétrico gastava, em média, de cerca de US$ 1.100 por kWh por sua bateria. 

No final de 2019, esse número havia caído 87%, para US$ 156 por kWh. De acordo com a Pesquisa de preços de bateria de 2019 da BloombergNEF, o preço médio até 2023 será de aproximadamente US$ 100/kWh, e abaixo do que no ano seguinte, quando se espera que a demanda agregada exceda 2 TWh. 

Dito isso, espera-se que os veículos elétricos alcancem finalmente a paridade de preço em relação aos motores de combustão interna (movidos por etanol ou derivados do petróleo). Essas drásticas reduções de custo podem ser atribuídas a vários fatores, incluindo o aumento na produção de células de alta densidade de energia e a própria demanda de pedidos que culminam na expansão geral das vendas de veículos elétricos.

À medida que os preços das baterias caem, mais empresas e consumidores estão escolhendo veículos elétricos. Claro que, do ponto de vista econômico, isso é ótimo. Mas além disso, a comercialização mais ampla leva a uma diferenciação nos modelos de baterias disponíveis no mercado – aumentando a oferta para todos os bolsos e gostos. 

Por exemplo, um motorista que utiliza seu veículo apenas para viagens do dia a dia, pode se concentrar no aspecto da eficiência de custos, enquanto compradores empresariais podem se inclinar também para aspectos como vida útil do ciclo, componentes e rendimento.

De acordo com a pesquisa da BloombergNEF, a queda dos preços nos próximos anos resultará de designs inovadores de embalagens, evolução das cadeias de suprimentos e diminuição das despesas de fabricação. E ainda, à medida que a demanda por carros elétricos aumenta na Europa e na China, as empresas cortam os custos de transporte e importação construindo fábricas nas regiões de demanda, como é o caso da gigafactory da Tesla, em Berlin.

O condutor da pesquisa, James Frith, analista sênior de armazenamento de energia da BNEF, disse: “de acordo com nossas previsões, até 2030 é previsto que o mercado de baterias movimente US$ 116 bilhões por ano, e isso não inclui investimentos na cadeia de suprimentos. No entanto, à medida que os preços das células e das embalagens estão caindo, os compradores obterão mais vantagens visto que os produtos terão qualidade superior ao que é ofertado atualmente.” 

À medida que as montadoras começam a usar suas próprias versões de modelos de veículos elétricos com sistemas de gerenciamento térmico personalizados, os designs das baterias serão padronizados, simplificado e otimizado nos níveis econômico e de produção, reduzindo os requisitos de caixa do módulo e, por sua vez, o impacto ambiental. 

A Bloomberg NEF prevê que os preços caiam para US$ 61/kWh até 2030, mas isso pode depender do desenvolvimento de tecnologias emergentes, como ânodos de silício e lítio, novos materiais catódicos e células de estado sólido.